segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

Dicas para Adaptação no Maternal

Oi gente!!!

A decisão de matricular o filho na Educação Infantil é movida por diferentes razões. Alguns precisam apenas de um lugar para deixá-lo, enquanto outros entendem que esse é o ambiente mais apropriado para os pequenos. Nos dois casos, os primeiros dias na creche costumam não ser fáceis. As mães choram discretamente e a criançada abre o berreiro ao ver os adultos saírem pela porta. Evitar cenas assim é possível quando os profissionais programam uma boa adaptação para todos.

A professora Edimari Rodrigues Romeu tem grande preocupação com a adaptação. "Para amenizar o sofrimento das famílias, é preciso mostrar que as crianças ficam bem na creche", lembra. Ela desenvolveu o projeto Um Cantinho da Minha Casa na Escola com sua turma de berçário. O trabalho com os pequenos, de até 1 ano e meio, durou dois meses e rendeu um diploma por ter ficado entre os 50 melhores do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10 em 2007. Vamos aprender com ela?
  1. Peça fotos das crianças com os parentes, os animais de estimação e os brinquedos preferidos. "É importante que elas encontrem objetos pessoais na escola", justifica. "Isso dá a sensação de extensão de casa na instituição." Escolha um canto, coloque um tapete colorido de EVA no chão e espalhe almofadas e brinquedos devidamente identificados. Em paralelo, confeccione um painel com as fotos. Tire cópias coloridas e as fixe em cartolina.Por fim, coloque o mural na parede numa altura acessível ao grupo.
  2. Depois, corte ao meio folhas coloridas de tamanho A4 e cole as fotos em cada pedaço. Digite as legendas no computador e imprima em papel branco. Nelas, o nome das pessoas e a situação ("Pedro com seus avós no parque", por exemplo). Para garantir mais durabilidade, envolveu as folhas com plástico adesivo transparente. Com o furador, faça dois orifícios em todas as páginas e as una com barbante. Na capa, escreva "Eu e minha família". Como a intenção é deixar ao alcance da criançada, tome o cuidado de não usar grampeador nem fio de náilon para não causar machucados.
  3. Todos os dias, alguém chega com um brinquedo para juntar ao canto. Reúna a turma numa roda, faça a chamada e mostre o novo objeto. Conte quem trouxe e estimule o empréstimo, mas nem sempre você será atendida. Quem não quer compartilhar deve ser respeitado. Dessa maneira, fica entendido o que pertencia a quem. O mesmo acontece com a inserção de fotos inéditas, com destaque para o nome e as peculiaridades de cada família.
Créditos para Nova Escola.
Postar um comentário